Stay Connected

Blog Archive

Blog Archive

Featured Posts

Social Icons

Teste - Teste

Tecnologia do Blogger.

JUNIOR XIMENES DEFENSSOR DA VERDADE E DO POVO

JUNIOR XIMENES DEFENSSOR DA VERDADE E DO POVO
JUNIOR XIMENES O RADIALISTA QUE TEM COMPROMISSO COM A VERDADE FONE TIM 88]99620600 E CLARO 88]92919888

JUNIOR XIMENES 88]99620600 TIM CLARO 88]91929888

JUNIOR XIMENES 88]99620600 TIM CLARO 88]91929888
JUNIOR XIMENES RADIALISTA QUE TEM COMPROMISSO COM A VERDADE E ESTÁ DO LADO DO POVO

Destaques

quinta-feira, 6 de março de 2014

RIO DE JANEIRO: Menino teve fígado dilacerado pelo pai, que não admitia que criança gostasse de lavar louça

05 de março de 2014 Alex, de 8 anos, era espancado repetidas vezes para aprender a ‘andar como homem’


Alex beija a barriga da mãe, Digna, que foi ameaçada por Conselho Tutelar por não matricular menino na escola
Foto: Reprodução / Reprodução
Alex beija a barriga da mãe, Digna, que foi ameaçada por Conselho Tutelar por não matricular menino na escolaREPRODUÇÃO / REPRODUÇÃO

RIO - A tragédia começou a ser delineada aos poucos. Em Mossoró, segunda maior cidadedo Rio Grande do Norte, Digna Medeiros, uma jovem de 29 anos que vive da mesada de dois salários-mínimos dada pelo pai, começou a ser pressionada pelo Conselho Tutelar porque não mandava seu filho Alex, um garoto franzino, que não aparentava seus 8 anos, à escola. Ameaçada de perder a guarda, mandou o menino para o Rio para que ele morasse com o pai. O encontro da criança tímida com o pai desempregado, que já cumprira pena portráfico de drogas, não poderia ter sido mais desastroso. Horrorizado porque Alex gostava de dança do ventre e de lavar louça, Alex André passou a aplicar o que chamou de “corretivos”. Surrava o filho repetidas vezes para “ensiná-lo a andar como homem”. No último dia 17, iniciou outra sessão de espancamento. Duas horas depois, Alex foi levado para um posto de saúde. Parecia desmaiado, com os olhos grandes, de cílios longos, entreabertos. Mas não havia mais o que fazer. Estava morto.

As sucessivas pancadas do pai, provocadas porque Alex não queria cortar o cabelo, dilaceraram o fígado do garotinho. Uma hemorragia interna se seguiu, levando o menino, que também gostava de forró e de brincar de carrinho, a óbito. Apesar de a madrasta, Gisele Soares, que socorreu o enteado, afirmar que ele tinha desmaiado de repente, os médicos da UPA de Vila Kennedy desconfiaram logo de violência doméstica. O corpo de Alex, coberto de hematomas, era um mapa dos horrores que ele vinha passando. O laudo do Instituto Médico Legal descreve em muitas linhas todo o sofrimento: a criança tinha escoriações nos joelhos, cotovelos, perto do ouvido esquerdo, no tórax, na região cervical; apresentava também equimoses na face, no tórax, no supercílio direito, no deltoide, punho esquerdo, braço e antebraços direitos, além de edemas no punho direito e na coxa direita. A legista Áurea Maria Tavares Torres também atestou que o corpo magricelo apresentava sinais de desnutrição.

Ads by PlusHD.5Ad Options
posto de saúde chamou o Conselho Tutelar de Bangu, providência que nenhum vizinho do menino havia tomado. Alex morava com o pai, a madrasta e outras cinco crianças num casebre na Vila Kennedy, uma área sem UPP, onde três facções rivais travam uma guerra. Não se sabe se a lei de silêncio, que costuma imperar onde traficantes atuam, contaminou quem vivia nas casas próximas, ou se ninguém realmente sabia do que se passava no imóvel de três cômodos.
- Eu nunca escutei nada. Eu mal via o menino. Pensei até que ele já tivesse voltado para o Nordeste. Só os outros filhos saíam de casa. Acho que ele vivia em cárcere privado - diz a vizinha Wandina Ribeiro.

No depoimento que o pai, apelidado pelos vizinhos de “monstro de Bangu”, deu à polícia, há uma pista de que o menininho podia, de fato, sofrer os maus-tratos calado: “Enquanto batia, mais irritava o fato de ele não chorar, o que fazia o depoente crer que a lição que aplicava não estava sendo suficiente e que, por isso, batia mais e mais”.

Um dos conselheiros tutelares de Bangu, Rodrigo Coelho, diz que vai pedir à polícia que investigue se Alex vivia em cárcere privado. Se os vizinhos dizem não saber de nada, no colégio tampouco desconfiavam do que Alex passava em casa. Matriculado em maio de 2013 na Escola Municipal Coronel José Gomes Moreira, também na Vila Kennedy, o garoto era considerado calmo, obediente e inteligente. Teve ótimo desempenho no ano passado: nota 88 no segundo bimestre, primeiro que cursou no local, nota 100 no terceiro, e 90 no último. Este ano, não apareceu, mas os funcionários não se preocuparam: em janeiro, Alex André fora à unidade pedir a documentação escolar, dizendo que o filho voltaria para Mossoró.

O menino afetuoso, que se dava bem com os colegas, é descrito de forma bem diversa pelo pai. No depoimento à polícia, Alex André, que teve a prisão temporária decretada no último dia 19 pela juíza Nathalia Magluta e foi levado para o Complexo de Gericinó, disse que o filho “era de peitar”, “partia para dentro de você”. Segundo policiais que investigam o caso, a frieza de Alex André impressionou quem assistiu ao depoimento. Ele negou ter tido a intenção de matar, mas insistia que o filho tinha que ser “homem”.

Homofobia já tinha feito assassino rejeitar outra criança

Ads by PlusHD.5Ad Options
Ninguém sabe dizer - como se isso tivesse alguma relevância - se Alex era realmente afeminado. Mas não faltam relatos de como o pai do menino era homofóbico. Sobrinha do assassino, Ingrid Moraes diz que Alex André era “cismado com essa coisa de homossexual” e rejeitava o filho mais velho, de 12 anos, por achá-lo pouco másculo. O menino, que morava numa rua próxima com a mãe, conta que a relação com o pai, que ele mal via, era cheia de segredos.

- Eu cuido da casa, mas ele nem sabia. Não acho nada demais, mas ele não aceitava muita coisa — diz o garoto, que escapou por pouco de ser surrado. - Uma vez, ele tentou, mas meu tio me defendeu.
Se poupou o filho mais velho, o mesmo não pode se dizer de outros parentes. Ingrid conta que já apanhou de Alex André, que também atacou a própria mãe
Se, em família, Alex André resolvia muita coisa no braço, na rua ele fazia valer sua condenação por tráfico de drogas (cumpriu pena por quase quatro anos) para amedrontar a vizinhança. Sem emprego fixo e vivendo de bicos, costumava consumir drogas no meio da rua e, se alguém reclamasse, dizia para não se meterem com ele.
Gisele, a mulher de Alex André, não tem sido mais vista na Vila Kennedy. Ela abandonou o lar no dia seguinte à morte do enteado, quando vizinhos ameaçaram linchá-la e atear fogo ao imóvel. À polícia, ela confirmou as palavras do marido e disse ser contrária aos castigos físicos.

Digna Medeiros, a mãe de Alex, garante que Alex André nunca foi violento com ela:

- Se soubesse, não teria deixado o Alex vir para o Rio. Ele era minha vida, nunca pensei que isso pudesse acontecer, meu Deus. Preferia que tivesse sido comigo.
Perguntada se o filho nunca havia se queixado do pai, Digna contou que só falara duas vezes com ele nos últimos nove meses.
- Eu liguei no dia que ele foi para o Rio com a aeromoça e falei também quatro dias depois. Ele disse que estava tudo bem. Depois, não consegui mais falar com o celular do pai dele. Entrei em contato com o irmão do Alex André pelo Facebook e ele disse que estava tudo bem. Confiei, afinal ele era tio do meu filho - diz.
Digna resolveu acompanhar de perto o desenrolar do caso. Deixou o bebê de 8 meses com amigos em Mossoró. O filho de 3 anos mora com os avós paternos. O mais velho, de 15, que ela não vê desde neném, ela quer encontrar no Rio.
- Tive ele muito nova, com 14 anos, não tinha a cabeça que tenho hoje. Deixei ele com o pai, lá em Honório Gurgel - diz Digna.
Digna e o conselheiro tutelar foram os únicos que participaram do enterro de Alex. Mas a cena do menino no caixão branco, de blusinha listrada, ainda marcado pela violência, foi tão forte que levou pessoas de quatro velórios que eram realizados ao lado a sair de suas capelas para abraçar a mãe.


Fonte: http://splashurl.com/ncrep7g

EX-PREFEITO DE NOVA RUSSAS E ARARENDÁ MORRE EM ACIDENTE DE TRÂNSITO

CAMINHÃO CARREGADO DE GADO VIRA E DEIXA UMA VÍTIMA FATAL EM CAMPO MAIOR

http://2.bp.blogspot.com/-QrJs1d9Orbc/UxiRFIJxCDI/AAAAAAAAKWA/8NHtyU7-Evs/s1600/vicente.jpg
VÍTIMA: VICENTE MOURÃO CARLOS

 

Um caminhão de cor vermelha com placa de Ararendá (CE) capotou por volta das 10h30 desta quinta-feira (06) na famosa ponte dos Canutos que fica na PI-114 que liga Campo Maior a Cabeceiras do Piauí. De acordo com informações policiais no veiculo estavam duas pessoas, sendo que o motorista foi socorrido ainda com vida e levado para o Hospital Regional de Campo Maior (HRCM), já o passageiro não resistiu e morreu preso nas ferragens.

A vítima fatal foi identificado como Vicente Mourão que seria o proprietário do caminhão que estava carregado de gado. Ele é ex-prefeito da cidade de Ararendá. Vários populares trabalharam na tentativa de liberar os animais presos enquanto o Corpo de Bombeiros se deslocava de Teresina para atender a ocorrência e desvirar o veiculo.

As freadas na pista mostram que o motorista perdeu o controle e passou direto e que antes de descer o aterro ainda tentou recolar o veiculo na estrada, mas não conseguiu e acabou virando.
 

FONTE: CAMPO MAIOR EM FOCO

VIOLÊNCIA: Feriado de Carnaval, 70 pessoas foram mortas no Ceará em cinco dias

05 de março de 2014
Este foi o Carnaval mais violento dos últimos dez anos. Só em Fortaleza e Região Metropolitana, 36 pessoas foram mortas; outras 34 foram assassinadas no Interior 



Durante o feriadão de Carnaval70 pessoas foram assassinadas no Ceará, uma média de 14 homicídios por dia. Somente em Fortaleza e na Região Metropolitana, 36 pessoas foram mortas, de sexta-feira, 28, até esta terça-feira, 4, segundo dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). No interior do Estado, foram 34 homicídios contabilizados pelo Comando de Policiamento do Interior (CPI). 

Este foi o Carnaval mais violento dos últimos dez anos, segundo balanço do O POVO Online. Em 2013, 2012 e 2011 foram, respectivamente, 55, 31 e 52 homicídios. A média de 14 assassinatos por dia também é maior que a média de casos de morte violenta por dia do estado no ano de 2013, em que a cada duas horas, uma pessoa foi assassinada. Ao todo, foram 26 pessoas mortas em Fortaleza durante o feriado.

Até segunda-feira, 3, a Polícia já contabilizava 58 homicídios em todo o Estado. O dia maisviolento na grande Fortaleza foi o domingo, 2, quando 11 ocorrências foram registradas. Os crimes mais recentes na Capital, ocorrido na última terça-feira, 4, foram nos bairros Edson Queiroz, Jardim Iracema,Pici e Ellery. Nesse último, um adolescente foi executado a tiros, na avenida Pasteur, por duas pessoas não identificadas.

Interior
Durante o feriado de Carnaval, de sexta-feira, 28, até a terça-feira, 4, 34 pessoas foram assassinadas no interior do Ceará. No último dia de folia, sete pessoas foram assassinadas nos municípios de Reriutaba (dois mortos), Paracuru, Massapê, Juazeiro do Norte, Redenção e Morada Nova

Somente na segunda-feira, 3, treze pessoas foram mortas no Interior. No domingo, 2, foram seis assassinatos e no sábado, 1°, cinco pessoas foram assassinadas. Na última sexta-feira, 28, três pessoas foram mortas no interior do Estado.

Números de homicídios Carnaval 2014
Fortaleza
Sexta-feira: 8 homicídios nos bairros Messejana, Henrique Jorge (2), Papicu, Granja Lisboa, Sapiranga, Couto Fernandes e Jangurssu
Sábado: 6 homicídios nos bairros São João do Tauape, Quintino Cunha, Siqueira, Dom Lustosa, Praia do Futuro e Barroso
Domingo: 6 homicídios nos bairros Aerolândia, Barra do Ceará, Parque dois Irmãos, João XXIII, Jangurussu e Fátima
Segunda-feira: 2 homicídios nos bairros Parque Dois Irmãos e Fátima
Terça-feira: 4 homicídios nos bairros Edson Queiroz, Jardim Iracema, Pici e Ellery

Região Metropolitana
Sexta-feira: 0 homicídios
Sábado: 4 homicídios em Maracanaú, Caucaia (2) e Itaitinga
Domingo: 5 homicídios em Pacajus, Caucaia e Itaitinga (3)
Segunda-feira: 0 homicídios
Terça-feira: 1 homicídio em Horizonte

Interior

Sexta-feira: 3 homicídios
Sábado: 5 homicídios 
Domingo: 6 homicídios 
Segunda-feira: 13 homicídios
Terça-feira: 7 homicídios 

Números de homicídios no Ceará nos últimos anos
2003: 24
2004: 12
2005: 28
2006: 31
2007: 39
2008: 45
2009: 23
2010: 20 
2011: 52 
2012: 31 
2013: 55

Fonte: Redação O POVO Online

POLÍCIA: Túnel e 4 assassinatos são registrados nas penitenciárias do Estado durante o feriado

05 de março de 2014
presidio
A CPPL II foi palco de dois assassinatos durante o feriado
FOTO: ARQUIVO
Um túnel de aproximadamente 1,5 metros de diâmetro e 2 metros de profundidade foi encontrado na manhã desta quarta-feira (5), na Unidade Penal Agente Penitenciário Luciano Andrade de Lima, em Itaitinga. Foram registrados também quatro assassinatos e umatentativa de homicídio durante o feriado.
A Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus) informou que os nove detentos presentes na cela onde o túnel foi localizado, foram levados para a delegacia, onde será feito um inquérito policial
De acordo com a Sejus, o corpo do preso Antônio Marciano Pinheiro da Silva, 22 anos, foi encontrado por volta das 10h com marcas de espancamento, na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto(CPPL II). Ele respondia por tráfico de drogas, assalto, porte de arma e receptação.
Outras ocorrências
Cinco homens encapuzados invadiram a Cadeia Pública de Tamboril, na última segunda-feira (3), às 3h da madrugada. Os homens procuravam por Ailton Ferreira de Carvalho, que respondia por homicídio em regime semiaberto. Ailton se encontrava na cadeia para recolhimento durante o feriado, como determina a Justiça, ele foi morto com vários tiros.
No último domingo (2), outros dois detentos foram mortos vítimas de agressão física. José Quercio Barros Lima, 24 anos, sofreu golpes de cossoco e foi socorrido para a enfermaria da na CPPL II, mas não resistiu aos ferimentos.  
Na Casa de Privação Provisória de Liberdade Agente Elias Alves da Silva (CPPL IV), o corpo de Carlos Alexandre Machado Alves, 25 anos, foi localizado no banheiro coletivo por voltas das 17h, após o período de visitas.
Fonte: Diário do Nordeste

DURANTE O CARNAVAL: 25% dos casos do IJF são por acidentes de motos

Neste ano, número de pacientes que deu entrada no hospital por esse motivo foi maior que em 2013
Image-0-Artigo-1560154-1
A maioria dos acidentes é causada por ausência de capacete, embriaguez e excesso de velocidade. As vítimas são, geralmente, homens entre 18 e 30 anos. De 2012 para 2013, esse tipo de ocorrência no IJF subiu 37%
FOTO: LUCAS DE MENEZES
Desde a última sexta-feira (28) até a manhã de ontem, 312 pacientes vítimas de acidentes com motocicletas deram entrada no Instituto Dr. José Frota (IJF), no Centro, número que corresponde a 25% de todas as ocorrências registradas pelo hospital durante o Carnaval. De acordo com o chefe da equipe de cirurgia do IJF, dr. José Soares, o número é superior em relação ao igual período do ano passado.
Ads by PlusHD.5Ad Options
De 2012 para 2013, os acidentes com motos, cujos pacientes foram atendidos pelo IJF, subiram em 37%. Segundo o Dr. Soares, a maioria desses acidentes é causada por imprudência dos motoqueiros. "É um tripé: ausência de capacete, embriaguez e excesso de velocidade", detalha. O perfil que predomina entre os acidentados, de acordo com cirurgião, são homens com idade entre 18 e 30 anos.
Como ficam muito expostas a pancadas, a maioria das vítimas tem politraumas, quando mais de uma região do corpo é afetada em decorrência do acidente. "Fraturas expostas nas pernas e braços, traumas abdominais e na cabeça são os mais comuns, e quando associados, aumentam o grau de risco do paciente", explica o médico. As complicações, aponta, fazem com que os pacientes permaneçam, em média, dois meses no hospital, se recuperando de cirurgias e tomando medicamentos.
"Fora do hospital, o tempo de recuperação pode se estender para seis meses, isso quando o paciente não fica incapacitado", acrescenta. O custo para manter os pacientes é alto: a diária na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), setor pelo qual passam a maioria dos acidentados, custa, em média, R$ 2 mil por paciente. Períodos como o Carnaval são responsáveis por aumentar ainda mais as despesas.
Choque
Ads by PlusHD.5Ad Options
O feriado da empresária Francisca Teixeira, 45, foi um dos que teve desfecho inesperado. Na madrugada da quarta-feira, o retificador João Paulo da Silva, 29, genro da empresária, pilotava uma moto quando se chocou contra um veículo na Taíba, em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana. Na colisão, o pé e parte da perna do motociclista sofreram fraturas expostas e ele teve de ser submetido à cirurgia. "Os médicos já avisaram que ele vai levar, pelo menos, dois meses para se recuperar", adianta Francisca.
Alguns casos de pacientes revelam como o uso das motos ainda é associado à ausência de regras e equipamentos de segurança. O agricultor Antônio Holanda de Sousa, 41, acompanhava o filho Antônio Henrique de Sousa, 18, que havia sofrido um acidente na terça, quando voltava de Pacajus para Barreira, a 72 km da Capital, após sair do trabalho. "Ele não tinha habilitação e, pelo estado que o rosto dele ficou, acho que também estava sem capacete", reconhece o pai. Apesar de ter apenas 18 anos, Henrique pilota motos há quatro e faz, semanalmente, o trajeto do trabalho para casa na moto.
Jéssica Colaço
Repórter
Fonte: Diário do Nordeste

RIO DE JANEIRO: Mulher é acha morta, sem roupas e amarrada, em um bar na Rocinha

06 de março de 2014

Corpo de Gleice, de 18 anos, foi encontrado por policiais da UPP.
Necrópsia irá dizer causas da morte e se a mulher foi estuprada.
Daniel SilveiraDo G1 Rio

Gleice Oliveira deixa um filho de 2 anos (Foto: Reprodução / Facebook)Gleice Oliveira deixa um filho de 2 anos
(Foto: Reprodução / Facebook)
O corpo de Gleice Francisca de Oliveira, de 18 anos, foi encontrado, nu e amarrado, dentro do banheiro de um bar na Estrada da Gávea, localizado na Rocinha, na Zona Sul do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (5). A jovem foi achada por um amigo, que chamou policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da favela. A Divisão de Homicídios da Polícia Civil vai investigar o caso.
Familiares foram ouvidos na DH e policiais realizam diligências em busca de testemunhas e imagens de câmeras de segurança. Segundo amigos, ela estava desaparecida desde a noite de segunda-feira de carnaval (2), quando saiu para se encontrar com um amigo. Ela deixa um filho de dois anos.
O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), para realização da necrópsia que vai apontar as causas da morte e se ela foi vítima de estupro.
Perseguida, dizem amigos

No IML, dois amigos que não quiseram se identificar disseram ao G1 que Gleice reclamava há semanas que vinha sendo seguida na comunidade por um homem desconhecido. O padrinho dela, Raimundo Evandro de Souza, 32 anos, afirmou que a família não sabia desta desconfiança.

Raimundo se mostrava indignado e disse esperar justiça. Ele cogita a possibilidade do assassino de Gleice ser um maníaco que já tenha feita outras vítimas e possa vir a cometer mais crimes semelhantes. "Tudo leva a crer que ele premeditou esse crime todo", disse.

Ainda de acordo com Raimundo, Gleice concluiu o ensino médio em 2013 e tinha planos de cursar uma universidade. A jovem seria muito caseira e muito preocupada com o filho.

O amigo que achou o corpo contou que a jovem iria se encontrar com ele na noite em que desapareceu. Os dois iriam a uma casa noturna na Rocinha. Como ela não deu notícias, ele foi até a boate, mas não a achou. Pela manhã, a mãe de Gleice ligou para ele perguntando pela filha. Preocupados, foram à delegacia prestar queixa e na terça-feira (4) começaram a espalhar cartazes com a foto dela pedindo informações sobre o seu paradeiro. Eles também postaram mensagens em redes sociais.
Suspeita

Amigos e familiares suspeitam de um homem, que teria alugado, para morar, o bar onde o corpo foi encontrado há cerca de um mês. Na manhã de terça (4), ele teria ido ao local buscar roupas e não foi mais visto. Segundo o amigo de Gleice, vizinhos relataram que ouviram uma discussão entre um homem e uma mulher, mas não deram atenção por pensarem se tratar uma briga de casal.

A amiga da vítima contou ainda que um policial que viu o corpo disse que, aparentemente, ela teria sido morta na madrugada de terça (4). Ele cogitou que ela tenha sido estrangulada pelo homem, que também teria batido a cabeça dela contra a parede do banheiro. O velório de Gleice será realizado a partir das 8h, em uma capela na Rocinha.
Fonte: G1

ASSIDUIDADE: Nenhum cearense figura entre os mais presentes da Câmara

 05 de março de 2014

Se não possui representante entre os mais assíduos na Câmara, o Ceará, no entanto, aparece na lista dos mais presentes do Senado, com José Pimentel 
Agência Câmara
Tiririca aparece entre os quinze parlamentares que não perderam nenhuma sessão da Casa

Nenhum parlamentar cearense está entre os mais presentes da Câmara dos Deputados. A informação é de levantamento do site Congresso em Foco, que aponta ainda apenas quinze deputados federais como presentes em todas as 113 votações desta Legislatura – iniciada em fevereiro de 2011. 

Entre os 513 parlamentares da Casa, apenas seis não perderam um dia sequer de trabalho. Entre eles, está o cearense Tiririca (PR), eleito deputado em 2010 pelo Estado deSão Paulo.

Senado Federal

Se não possui representante entre os mais assíduos na Câmara, o Ceará, no entanto, aparece na lista dos mais presentes do Senado, com José Pimentel (PT). Segundo o Congresso em Foco, o petista faltou apenas uma das 119 sessões da Casa nos últimos anos. Apenas outros dois senadores, Paulo Paim (PT-RS) e Ruben Figueiró (PSDB-MS) tiveram a mesma assiduidade do cearense.

Confira quem foram os deputados presentes em todas as 113 votações desta Legislatura:
Alexandre Leite (DEM-SP)
Amauri Teixeira ( PT-BA)
Antônio Brito (PTB-BA)
Fábio Trad (PMDB-MS)
Hermes Parcianello (PMDB-PR)
Jutahy Junior (PSDB-BA)
Lincoln Portela ( PR-MG)
Manato (SDD-ES)
Onofre Santo Agostini (PSD-SC)
Paulo Feijó (PR-RJ)
Pedro Chaves (PMDB-GO)
Policarpo (PT-DF)
Reguffe (PDT-DF)
Tiririca (PR-SP)
Valtenir Pereira (Pros-MT)


Fonte: O Povo

12 ANOS DE PRISÃO: Acusado de estuprar a irmã é condenado



Postado por Diassis Lira, em 06 de março de 2014
A juiza titular da 17ª Vara Criminal, Marlúcia de Araújo Bezerra, condenou Raimundo Nonato de Abreu Lima, acusado de estuprar a irmã, a 12 anos de reclusão. O réu deverá cumprir a pena, inicialmente em regime fechado, e não terá direito a recorrer da decisão em liberdade.
De acordo com os autos processuais, o crime aconteceu em 26 de dezembro de 2010, no bairro Cristo Redentor. O estupro teria sido praticado quando a mulher estava desacordada. A filha da vítima presenciou o fato e pediu socorro aos vizinhos.
A mulher chegou a ser levada ao Instituto Doutor José Frota (IJF), onde morreu no dia seguinte. O laudo expedido pela Coordenadoria de Medicina Legal (Comel) não determina qual teria sido a causa da morte, uma vez que a vítima sofria de várias doenças graves, que eram potencializadas pelo alcoolismo.
Raimundo Nonato foi condenado por estupro de vulnerável. A pena foi aumentada com baseno agravante, que estupro foi cometido contra a própria irmã do acusado.

Fonte: Diário do Nordeste

Como Eike, Silvio Santos sai de lista de bilionários; Edir Macedo continua

O empresário Silvio Santos saiu do ranking de bilionários da revista "Forbes" em sua edição deste ano. Ele tinha


Em 2013, Silvio Santos ocupava a 1107ª colocação no ranking da revista, na esteira do sucesso de empresas como a Jequiti, de cosméticos, que havia crescido na casa dos dois dígitos nos últimos anos.
Como Silvio Santos, o empresário Eike Batista também ficou de fora da listaneste ano.

Eike foi a pessoa mais rica do Brasil de 2009 a 2012, segundo a "Forbes". Em 2012, ele chegou a ser o 7º mais rico do mundo. Já em 2013, tinha caído para a 100ª posição em 2013, reflexo da crise em seus negócios.

Edir Macedo continua na lista

O bispo Edir Macedo, que entrou para o ranking da "Forbes" junto com Silvio Santos, no ano passado, continua integrando a lista, mas caiu da 1268ª posição no ranking mundial para o 1465º lugar. Sua fortuna é estimada pela publicação em US$ 1,1 bilhão.

No ramo de mídia e comunicação, os irmãos Giancarlo Civita, Victor Civita Neto e Roberta Anamaria Civita, da editora Abril, agora dividem a 1540ª posição no ranking mundial da "Forbes", com fortuna estimada de US$ 1,05 bi, após a morte do pai, Roberto Civita.

 Oul Notícias
Caderno: NACIONAL